Presentear os noivos no dia do casamento é um costume que vem desde a Idade Média. Saiba um pouco mais sobre os significados e como surgiu essa tradição.

Dar e receber presentes é muito bom, seja no Natal, em aniversários ou outras datas festivas. E presente de casamento, então? Nem se fala! Tudo o que os noivos ganham vão ajuda-los a começar uma vida nova juntos, na casa nova, com tudo novo! A sensação de abrir cada embrulho é indescritível. E você sabe como surgiu esse costume de presentear os noivos? Então senta que lá vem história!

O começo de tudo

Dizem que a tradição de presentear vem do povo celta, que se espalhou pela maior parte do oeste da Europa a partir do segundo milénio antes de Cristo. No começo de cada ano, eles trocavam entre si presentes feitos de um visgo (uma planta) considerado sagrado. Já na Roma Antiga, também era costume trocar presentes no Ano Novo. Eram lembranças simbólicas, que tinham como objetivo compartilhar com o outro aquilo que cada um tinha em abundância. Já depois de Cristo, como os Reis Magos foram visitar o Menino Jesus e levaram ouro, incenso e mirra, os cristãos passaram a trocar presentes no Natal.

Já o presente de casamento tem origem diferente. Na Idade Média, os casamentos costumavam ser arranjados e o dinheiro das famílias contava muito. A família da noiva pedia um dote para entrega-la ao noivo. Em alguns países, o pai da noiva é que dava uma quantia em dinheiro ou algo valioso para o casal. Já em outras localidades, o noivo é que deveria pagar à família da noiva para tê-la como esposa. O dote nupcial, além do dinheiro, continha todo o enxoval, com roupas de cama, louças e etc. E todos os parentes e conhecidos davam presentes para ajudar a compor o dote da noiva. Como passar do tempo, dar presentes ao novo casal se tornou comum entre todos os convidados.